Teu

Que de teus lábios, carne e sangue, lacrimejem a mais pura verdade.

Que em teus olhos vivos e flamejantes, minha alma  refrate, tanto quanto a chama viva arde dentro de ti.

Que o mundo se cale ao lhe ouvir cantar, canção perfeita, onde palavras não são ditas, apenas sentimentos a se expor.

 Onde coração acelera e o cérebro se distrai, entre piscadas leves e suspiros longos,  tua face me atrai.

Onde sexo não se define, estilo, escolha e ação, não sei se amo mulher, homem, anjo, amigo ou paixão.

Dedilho pacientemente cada instante de tua vida, que vive a gritar, decifra-me pois desejo aos poucos contigo compartilhar, faça de minha vida teu livro, e eu de ti um padre a me confessar.

Dilua minha verdade, em teu mar de aceitação e me ensina a errar.

Unindo corpo e alma, onde sexo quase não tem lugar, apenas saudades e carinhos me faram sonhar, a solidão pode até ser minha companheira, mas nunca tomara teu lugar.  

 

( Julio Cesar Nunes de Oliveira) 

 

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: