Vampiros de Alma Vermelha – Tudo pode acontecer, quando se ama alguém de verdade

Conta á lenda, que á muito tempo atrás, em uma cidade chamada, “Boas Vindas”, onde o diferente era pré-julgado sem chance de se defender,  algo trágico  e místico aconteceu  a um jovem rapaz, pois pensava diferente  e  não aguentava mais se esconder, tinha muitas perguntas, que queria poder responder e por justamente  não encontrar suas respostas, aprendeu o que é viver.

Àdrian Vinent Nune, um jovem sonhador de 20 anos, sempre foi fascinando pelo mundo místico, e por isso era mal compreendido pelas pessoas, nunca teve a chance de estudar sobre, pois a família não aceitava, não tinha muitas amizades, apesar de ser bem apresentável, inteligente e simpático, que é uma coisa difícil de se encontrar até hoje, o motivo desse distanciamento era a sua timidez e por ter sua opinião diferente das outras, nos dias de hoje, um jovem como esse seria parabenizado, por ter opinião própria, mas lá ele era recriminado e excluído.  Conseqüentemente não era muito popular. Àdrian  estava a passeio de rotina  pelo parque “Estações” e ao lado do mesmo, existia uma floresta denominada “Tempo Eterno”, os mais sábios haviam colocado este nome, mas não explicavam o motivo,  Àdrian iria descobrir  devido a uma força maior, naquele dia ele resolveu chegar mais perto desta floresta pois, por lá o caminho era mais longo, e foi este simples ato que mudou para sempre a sua vida, ele começou a ouvir alguém pedindo ajuda e o estranho é que ninguém alem dele, conseguia ouvir, então resolveu ir ao local e verificar o que tinha de errado.

Na verdade, havia uma jovem perdida praticamente no meio da floresta, em um local limpo,  seu nome era Tutank, quanto ao sobre nome não se sabe, os dois ficaram conversando, por horas, na verdade a noite inteira, e quando já amanhecia Tutank resolveu ir embora, um pouco apreçada pediu a ele que voltasse no mesmo local, e horário da noite passada, Àdrian se levantou e foi embora tão encantado com a jovem, quem nem se tocou que a mesma estava perdida quando  a encontrou, se estava perdida como ela conseguiu sair de la sem ajuda dele? Chegando em casa,  levou bronca, mas  inventou uma desculpa de  que tinha conseguido um emprego o mesmo que começava às 8 horas da noite e terminava às 8 horas da manha, sua família que já estava cansada de ouvi-lo falando daquelas coisas sem sentido, resolveram aceitar esse tal emprego, para que quem sabe, ele esquecesse um pouco deste mundo fantástico que para eles, era sem lógica alguma. Não perguntaram aonde, nem de que ele trabalharia, contanto que trabalhasse, era o que importava. Àdrian voltou ao lugar no outro dia e esses dois dias, se tornarão vários outros, os dois, sempre se sentavam em uma pedra, que ficava bem no centro da floresta, conversavam sobre a vida, sobre os seres, magia, fantasias coisas  que  acreditavam,  Tutank sempre meio sem jeito para se expressar, começava a falar sobre si e mudava de assunto, mas Àdrian não se importava pois estava se divertindo.

Com uma semana e meia de encontros noturnos, Àdrian percebeu que voltava aquele local não só por ter conhecido uma amiga, mas por ter se apaixonado pela mesma, mal sabia ele que ela sentia o mesmo, demorou um pouco para descobrirem juntos, mas quando aconteceu o primeiro beijo, foi inescapável, o tempo passava de vagar, as arvores e folhas dançavam com o tocar do vento a lua sorria pela felicidade dos dois.  Algo sombrio acontecia quando se beijavam, pois Tutank estava sempre jovem e bela, e já Àdrian, não parecia muito bem, parecia anêmico como se a vida tivesse lhe sendo tirada  a cada beijo. Ao termino de cada noite, Tutank se desesperava, pois sabia o que iria acontecer com o seu amado. Os pais de Àdrian começaram a se preocupar, pois estavam vendo o filho fraco, com  cara de  doente sem muitas energias, mas Àdrian dizia que o trabalho era um pouco puxado, e que ele estava bem,  era uma questão de costume.

Para a surpresa de Àdrian, Tutank pediu a ele que não voltasse mais aquele lugar, o difícil era perceber nos olhos dela  que não era isso que a mesma queria, aceitou o pedido, pois a mesma deveria ter algum motivo forte para tanto.  No outro dia se viu na obrigação de voltar ao local e se despedir então resolveu, não sabia como, mas tinha certeza de que ela estaria lá. Ao chegar no local, ele á viu triste e sentada no mesmo lugar, onde os dois se sentavam para olhar a lua. Àdrian a chamou, dizendo que a amava sendo assim impossível esquece-la e como uma armadilha do amor os dois se beijaram pela ultima vez, pois aquele beijo selou a morte do mesmo nos braços da bela jovem.

Tutank, desesperada, liberou sua fera interior, gritava desoladamente em quanto  lágrimas cortavam-lhe o rosto como se fosse ácido  que se unia com o sangue tornado um. A jovem o toca e sente um sopro de vida no corpo daquele que ela pensava estar morto, então rapidamente, rasgou-lhe a blusa e com lágrimas sangrentas, beijou-lhe não como humana, mas como vampira, para que os dois pudessem viver juntos para todo o sempre.

O ritual desesperado, foi um sucesso, Àdrian acordou assustado e com uma dor em seu lado direito do peito, vê o sangue e pergunta o que aconteceu, Tutank viu que não havia mais o que esconder então  contou-lhe toda a sua historia, Àdrian ainda meio tonto ficou totalmente mudo por alguns minutos, Tutank sem saber o que fazer, pede perdão com os olhos cheios de lágrimas, ela não conseguiria viver sabendo que havia contribuído para a morte de algo tão importante para ela, antes que o rapaz pudesse dizer o que achava  o dia  amanheceu e sem ter para onde fugir, novamente Tutank pede perdão  e diz que o ama abraçando o fortemente,  Àdrian sussurra  comovido e enfatizando sua afirmação “- Te amo do jeito que é e nem a morte trará nossa separação!”, minutos depois somente dolorosas cinzas irônicas,  espalhadas pelo chão.

Entre criaturas  e plantas lutuosas por presenciarem a situação, pássaros  tristes cantarolavam uma triste canção, juntamente com vento frio ouve-se um assobio e a floresta a se materializar com corpo e alma vindos da pedra onde se concretizou um sacrifício involuntário  se não penoso, por infortúnio do tempo e sua indevida ação.

O espírito rodeado por dor e sofrimentos alheios, poise de joelhos e com um simplório sopro  fez  a cinza voar, carregando o que antes corpos vivos que o sol involuntariamente  fez queimar,  agora pelo mesmo novas vidas iram se formar, contendo apenas as almas do indivíduos,  que agora eternos nunca mais iriam se separar. Com de costume tudo tem sua troca equivalente o espírito os traz a vida com uma pequena frase da qual os dois não poderiam se esconder, “- Que do negro das cinzas luz e vida ira nascer,  mas que a noite em nome do amor, tudo que  não for merecedor devera perecer.”  para viverem juntos pela eternidade, durante as noites teriam que sugar a vida de quem não conseguisse amar de verdade.

Seus pais depois de verem que o filho não iria voltar, foram em busca do jovem e é claro não conseguiram encontrar, pregaram fotos por todos os lados, a mãe não parava de chorar, passaram ao lado da floresta , “Tempo Eterno” e viram uma senhora sentada em um tronco quase sem esperanças perguntaram a ela se havia visto o filho deles passar por la e a senhora  educadamente lhes diz “- Vi sim por várias noites, vi teu filho entrar la!” apontava para a floresta e continuava a falar, “- Mas fazem dois dias que ele entrou e não o vejo voltar.”, “-Teu filho agora faz parte da floresta nem adianta procurar, acostumem-se com a perda, aquele lugar não tem volta, agora é tempo de recomeçar!”, terminou a conversa com os dois e poise a cantarolar, os pais respeitaram o que a velha lhes disse, mas não queriam acreditar, então continuaram procurando, incansavelmente até não terem mais forças, e finalmente resolverem aceitar, que o velha dizia a verdade e a busca terminaria lá, na floresta do “Tempo Eterno” onde crente algum ousava entrar.

O motivo deste nome “Vampiros de Almas Vermelhas”, foi pelo fato de durante o dia, os dois serem reluzentes como o sol e esse brilho se pareça com uma aura ou alma vermelha, e já vampiros, é por toda noite sugarem a vida de pessoas, que não merecem estar vivas, por vários motivos, mas principalmente por não merecerem ser amadas.

Dizem que os dois podem ser vistos quando o dia e a noite se encontram, ou como todos conhecem, quando o sol e a  lua, podem ser vistos juntos, quando isso acontece pode-se ver Àdrian e Tutank, voando de mãos dadas para simbolizar a imortalidade do amor, mesmo quando este é tão difícil de se ter. 

Esse final é o originalmente escrito.

(Julio Cesar Nunes de Oliveira) 

(05/09/2003)

Final alternativo, veja os dois e decida qual o melhor:

https://oiluj22.wordpress.com/2013/12/26/lagrimas-de-sangue/

2 Respostas to “Vampiros de Alma Vermelha – Tudo pode acontecer, quando se ama alguém de verdade”

  1. My spouse and I absolutely love your blog and find almost all of
    your post’s to be precisely what I’m looking for. Would you offer guest writers to
    write content for you personally? I wouldn’t mind composing
    a post or elaborating on a lot of the subjects you
    write with regards to here. Again, awesome web site!

    Curtir

    • Não me importaria de postar seus textos em meu blog, se entendi bem o que disse, mas por ser um blog pessoal, não recebo muitas visitas, por tanto seus textos não teriam muitas visualizações, caso queira mesmo assim tentar, me passe o texto com seu nome que divulgarei. Obrigado!

      Curtir

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: