Lamento

Poucas palavras fizeram muito hoje e eu calado, tentei me fazer indiferente, mas não adiantou, continuei em silencio, seguindo o tormento até o seu fim, chegando lá, fiz voltar, semi abraçado me fiz de muleta, até quando em casa, voltou a andar, voltou para onde sempre se esconde e como de costume, mas dessa vez penosamente a  se lamentar e chorar, sigo frio e mudo até meu pequeno mundo obscuro, passando horas devorando palavras, afim de esquecer ou amenizar, minha mente confusa, agora dói sem querer e eu cansado de lutar, tento esconder essa dor dormindo, o q lamentavelmente não seria o bastante.  Como acabar com um problema, sendo, que sem o mesmo sua vida não teria sentido?

 

(Julio Cesar Nunes de Oliveira)

 

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: