Possessão

No instante que me deito, tento me relaxar, não consigo dormir, mensagens e imagens  não me deixam descansar, de um  lado a outro, me reviro até  em fim dormir, a coberta e o edredão quentinhos deixaram os sonhos fluírem e juntamente pensamentos ruins saírem para uma noite perfeita desaparecer,  de repente  me sobe um frio, sinto a garganta fechar,  juntamente com um arrepio senti meu peito apertar, como se algo um intruso quisesse entrar, me acordo assustado e me deparo com uma aparição,  sem saber o que fazer, com meu pescoço em suas mãos, não conseguia gritar nem evitar, pois me faltava ação, uma de suas mãos adentrava meu corpo e o frio  virava fogo, mas não conseguia me possuir, desesperado fiz o sinal da cruz e me pus a rezar pedindo que o espírito se afastasse e me deixasse descansar o mesmo ria na minha cara e ficava a perguntar; “- O que está fazendo estais a brincar?”,  “- Se Deus não existe, porque tenta orar?”, “- Acorda de teu pesadelo e pelo resto da noite nem um sonho ira lhe perturbar, você ainda é fraco, por isso não pude entrar, no veremos em breve, logo saberá!”, eu de olhos fechados respiro fundo e aos poucos fui deixando aquilo passar, troquei de lado e a escuridão  sublime me fez voltar a descansar.

 

( Julio Cesar Nunes de Oliveira)

 

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: