Supondo que Deus exista, ele deve ser infinito e completo, ou seja ele deve ser infinitamente e completamente bom, para tanto deve-se levar em conta não só o bem que gera o bem, mas o mal que causa um bem, não em ato, mas a longa data, Deus não é mal infinitamente e completamente, o que já mostra uma falha em sua perfeição suprema.
Deus por não ter o mal em si para ser bom perfeitamente, criou seres com o livre arbítrio, para que esses pudessem ser o que ele não pode, sem que o mesmo participe disso diretamente, esses seres se utilizam do livre arbítrio para serem bons e maus, Deus ganha o status de bom infinita e completamente, pois apesar de não ser ele quem provoca, sua criação de forma espontânea age de forma ruim e essa ação causa reações muitas vezes boas, geralmente relacionadas a complacência, isso também pode acontecer de forma natural, como no caso de uma queimada, que destrói tudo por onde passa, mas que alguns meses depois, trás de volta o verde e a vida que lá existia.
O que quero mostrar com isso é que se deus existisse, teria nos criado para que pudesse ser o que sozinho não conseguiria e se ele precisa de nós para ser infinito e completo ele não é perfeito, pois Deus é autossuficiente, esse ser mais me parece, uma pessoa, tentando mostrar a outra o quão grande é, mesmo que se utilize de artifícios para chegar onde está, o que me leva e crer, que Deus foi criado através dos desejos inalcançáveis dos homens e que ele é tão história quanto qualquer outro deus no mundo.

 

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: