Gotas

Gotas que cavalgam colinas sem caminho certo, relutantes preferem não ficar, de onde saíram, só existe, insegurança e medo, mas não é por isso somente que estão a se afastar, mentiras marcadas a ferro, ilusões que se alimentam do respirar, a busca pelo simples e a infelicidade do adequar, varias gotas viajando e precisar participar.
Essa origem é invisível, mas deseja ser vista, inútil, mas deseja ser útil, nem sempre segue os caminhos que desenha, mas é uma dos poucos que tenta segui-los.
Essas gotas que descem desesperadas e enlouquecidas, procurando uma paz que não existe, possuem a receita da felicidade, mas infelizmente não é nela que residem, por isso fogem a qualquer momento, qualquer pressão entre duas pedras já é o suficiente para o rebento.
Disfarçada, sempre de costas, virada para a luz, cavidades gritam por liberdade, enquanto gotas moribundas caem sem rumo, em busca do impossível, mas a dor não se vai, apenas se esconde.

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: