Andando em meio a selva de pedras, sou apenas um animal adestrado, quieto, na minha, ponderado.

Com o pôr do sol, cansado e com o desejo de chegar, a fome é meu combustível, logo estarei lá.

Em meu mundinho individual não sonho, o papel, o corpo e minha voz a expressar, me tornam tudo aquilo que passo o dia a imaginar.

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: