Passado fragmentado

Sempre me perguntei o porque de não me lembrar de minha juventude, sinceramente nunca me preocupei com isso, é como se eu não tivesse passado por ela, não sentimos falta do que não tivemos, mas o fato é, eu tive e infelizmente não me lembro de quase nada que passei nessa época.

As pessoas que conheci, são apenas sombras do passado, tudo que me lembro está no meu presente,  o pouco do passado que me resta, está indiretamente me lembrando que existe, mas se não fosse isso, imagino que essa época se tornaria um grande vão escuro e nublado  em minha mente.

Me pergunto se essa época foi tão ruim a ponto de meu cérebro simplesmente esconder todas as memórias relacionadas, ou se tive algum trauma que tornou minha mente assim como está.

A algum tempo tenho lido meus textos mais antigos para atualizá-los, confesso sinceramente, que não parecia ser eu escrevendo, tudo era triste, sem vida, parecia o desespero procurando motivo para existir, era uma mistura de, perdas, descrença, medo e expectativas frustradas. Por um lado tive  vontade de me bater, por não ser forte o suficiente para superar a situação, mas de contra partida, me vi vivendo e uma mentira, pois tudo que me lembrava era apenas resultado de todo o sofrimento que passei e que agora não passava de um ponto escuro em minha mente.

Queria poder mostrar a mim no passado o quanto tenho orgulho do que sou hoje e o quão importante esse sofrimento foi, para que isso fosse possível. Quem sabe assim minhas lembranças não precisassem ser escondas. Se algo acontece algumas vezes pode até ser normal, mas se é algo recorrente, não pode ser deixado de lado e foi justamente isso que aconteceu, a ironia nisso tudo é que não só as tristezas foram recolhidas, mas as felizes também, como o perigo de ser redundante, é como se nada tivesse acontecido.

 

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: