Corpo, mente e a transcendência

O corpo enquanto matéria biológica e por tanto finito, não possui alma como se acredita ter, o que normalmente chamam de alma, na verdade  são apenas ações químicas e biológicas dentro da matéria. Se a hipótese de um deus seja ele qual for, é duvidosa e cheia de incoerências, então tudo que o mesmo supostamente criou também é.

Creio que o que transcende o homem é a sua genética, conhecimento e feitos, não se faz necessário provar tal afirmação, pois se trata de algo obvio, seu gene independente de estar vivo ou não, sempre existirá e sempre estará em constante mudança. Seu conhecimento e feitos, são coisas que através da cultura se tornam habituais e mesmo que seja substituído, aquela atualização só foi possível graças ao que foi feito anteriormente.

Arrisco dizer que então, existem dois tipos de transcendência, a material que apesar do nome não indica uma matéria imortal, mas de uma hereditariedade que passa gerações, dificilmente se extingue e por isso transcende  e temos também a transcendência imaterial que não tem a ver com um ser extracorpóreo, mas coisas feitas pela matéria que de alguma forma perpetuam seu ser, ainda que não esteja mais vivo. Por isso estão dentro dessa categoria, feitos e o conhecimento.

A ideia de alma é problemática pelo seguinte motivo;

Se a alma deve estar em um corpo para ter acesso a todo o conhecimento sensível, isso significa que fora do mesmo sua existência não seria possível, caso contrário o corpo seria uma ferramenta inútil ou pior a alma seria um parasita que se utiliza do corpo de forma necessária para poder ascender e se alimentar da vitalidade de seu hospedeiro até sua morte.

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: